Cuidados Paliativos


Os Cuidados Paliativos são os cuidados que respondem aos problemas que decorrem da doença avançada, prolongada, incurável e progressiva, e tentam prevenir o sofrimento que ela gera, proporcionando a máxima qualidade de vida possível aos doentes e suas famílias. Baseiam-se no controlo activo dos sintomas, na comunicação eficaz com o doente e família, e num trabalho em equipa interdisciplinar. Podem durar semanas, meses e, mais raramente anos, e prolongam-se pelo período do luto.



Segundo a definição da OMS - Organização Mundial de Saúde, em 2002, os Cuidados Paliativos:
• Proporcionam alívio da dor e de outros sintomas incomodativos e geradores de sofrimento.
• Afirmam a vida e vêem a morte como um processo normal.
• A sua intenção não é, nem apressar, nem adiar a morte.
• Integram os aspectos psicológicos e espirituais dos cuidados aos pacientes e oferecem um sistema de suporte para os ajudar a viver tão activamente quanto possível até à morte.
• Oferecem um sistema de suporte para ajudar a família a lidar com a doença do paciente e com o período de luto.
• Utilizam uma abordagem em equipa para responder às necessidades dos pacientes e suas famílias, incluindo aconselhamento durante o período do luto quando necessário.
• Realçam a qualidade de vida e podem influenciar positivamente o decurso da doença.
• São aplicáveis desde cedo no decurso da doença, em conjunto com outras terapias que visam o prolongamento da vida, tal como a quimioterapia ou a radioterapia, e incluem as investigações necessárias para melhor compreender e lidar com os incómodos das complicações clínicas.

Os Cuidados Paliativos são cuidados fundamentais para que o doente tenha qualidade de vida até ao fim e para que a família tenha a certeza absoluta de que está a ser feito tudo o que pode ser feito.

Quando não se pode curar, tem de se cuidar, até ao fim.
• Cuidar do doente aliviando as suas dores físicas, psicológicas e espirituais.
• Cuidar de quem cuida, que são normalmente os familiares, mas que também podem ser amigos ou vizinhos.
• Cuidar da família que está perturbada pela doença do seu ente querido.

Um doente em fim de vida e a sua família devem merecer o melhor cuidado.

As equipas de Cuidados Paliativos são interdisciplinares e nelas trabalham em sintonia médicos, enfermeiros, auxiliares de acção médica, psicólogos, assistentes sociais, assistentes espirituais e voluntários para ajudar os doentes a viver tão activamente quanto possível até ao fim.


Para mais informações sobre Cuidados Paliativos contacte a Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos.
destaques

CUIDAR BEM, FAZER MELHOR

Um kit com manuais e filmes para formar os Cuidadores

CUIDAR BEM, FAZER MELHOR

AJUDAR A CUIDAR

Filmes que ajudam quem trata dos doentes

Video

Utilidades

ADVITA © 2011 – Todos os direitos reservados